Como enfrentar o medo de errar e desenvolver um MINDSET criativo, focado na ação?

Você sente que não tem controle sobre a sua vida? Sente que está sempre sendo sequestrada pelo medo e pela falta de coragem, ao pensar em seguir adiante com a sua criatividade e desenvolver um mindset criativo? Você não está sozinha nessa, pode respirar aliviada.

Essa é a maneira como o nosso cérebro funciona diante dos desafios, diante dos momentos em que temos uma decisão pra tomar, por menor que seja:

Primeiro sentimos a EMOÇÃO (corpo) >>> Depois desenvolvemos um SENTIMENTO (mente) >>> Esse sentimento se transforma na nossa maneira de pensar sobre aquele assunto (mente) >>> E, por último, tomamos uma decisão, uma AÇÃO (corpo),  em relação ao que despertou aquela emoção em nós em primeiro lugar!

E isso não sou eu, Bia, quem afirma, e sim o português António Damásio, um dos maiores nomes da neurociência na atualidade. Ele dirige o Instituto do Cérebro e Criatividade na University of Southern California, em Los Angeles. Damásio conduziu várias pesquisas durante a sua vida que o ajudaram a desvendar a base neurológica das emoções, demontrando que elas têm um papel central no armazenamento de informações e no processo de tomada de decisões.

Um exemplo? Vamos imaginar que seja oferecido a você a oportunidade de mudar de emprego ou de curso na faculdade.

A primeira etapa é responder com EMOÇÃO a essa oportundidade. Se fossemos resumir o que é uma emoção, poderíamos dizer que ela é o conjunto de todas as respostas motoras que o cérebro faz aparecer no corpo em resposta a algum evento. É um programa de movimentos como aceleração ou desaceleração do batimento do coração, tensão ou relaxamento dos músculos e assim por diante, ou seja, a emoção é demonstrada com o seu corpo, é física! Portanto, seu corpo vai REAGIR a essa proposta de mudança de emprego ou nova oportunidade de estudo fazendo o seu coração vai bater mais forte, suas mãos suarem frio ou uma inquietude tomar conta, fazendo você caminhar de um lado pro outro. Garanto que você já sentiu isso muitas vezes na vida.

O segundo passo é o seu cérebro ‘ler’ essas emoções, essa reação do seu corpo à essa nova oportundidade. Isso é o que chamamos de SENTIMENTO, a maneira como a sua mente vai interpretar todo esse conjunto de movimentos, emoções, no seu corpo. Ele é a experiência mental da emoção, aquela parte sua que pensa: “Como isso faz com que eu me sinta?”.

A terceira fase é que esse sentimento, uma vez instalado, vai fazer com que você desenvolva os pensamentos sobre o que fazer em seguida, como AGIR. Você pode se deixar dominar pelo medo, pela dúvida e pela falta de coragem em enfrentar as mudanças da vida e, simplesmente, deixar quieto, dizer não a essa oportunidade, deixando a sua emoção inicial tomar conta da sua decisão. Ou você pode olhar com otimismo e decidir dar um primeiro pequeno passo rumo àquela nova oportunidade, pesquisando mais sobre o novo trabalho ou o novo curso, conversando com pessoas que já tomaram essa decisão antes, pesando os prós e contras que essa mudança pode trazer e assim por diante.

BAIXE GRÁTIS o Ebook O Be a Bá da Criatividade

Desenvolva uma rotina mais criativa! Neste ebook GRATUITO eu compartilho com você 23 ações para lascar fogo no seu gênio criativo. Fáceis de implementar, pra começar HOJE!

Ou seja, muitas vezes os nossos pensamentos e ações (ou falta delas) surgem do nosso estado emocional inicial.

É importante frisar aqui que as emoções foram extremamente bem sucedidas, ao longo da evolução, em nos manter vivos. O medo fez com que tivéssemos mais chance de sobreviver. Ponto. Só que a gente se encontra em uma outra realidade agora, com nossos cérebros super evoluídos em relação aos dos nossos ancestrais hominídios, onde podemos analisar as emoções e raciocinar sobre elas usando do nosso cérebro de Homo sapiens e decidir quando uma emoção é ou não é vantajosa.

Infelizmente, muita gente não entende isso e vive sendo sequestrada por essa parte mais primitiva do cérebro, responsável pelo medo e pela falta de coragem em agir diante dos desafios e mudanças.

Agora vem a pergunta de um milhão de dólares: Se as emoções podem moldar o seu raciocínio, as suas atitudes, o oposto pode acontecer? Isto é, o raciocínio e as atitudes podem alterar as suas emoções?

 

EMOÇÃO X RAZÃO – O MINDSET CRIATIVO

mindset criativo

Pra conseguir responder a essa pergunta, eu tenho que te dizer que o nosso cérebro funciona de 2 modos:

– Piloto automático:

Quer um exemplo básico? Você dirige pro trabalho, assim como faz todo santo dia, e quando chega lá toma um susto: ‘Caramba, quem dirigiu? Como eu cheguei aqui?’. Você não consegue se lembrar do caminho que fez e nem de dirigir até lá. Quando isso acontece você está totalmente imerso nesse modo que se autogoverna.

O piloto automático é a parte interna do seu cérebro, a parte que os neuroscientistas chamam de Gânglios Basais. Uma coisa muito importante é entender que essa parte do cérebro é, basicamente, a responsável por executar os seus hábitos, os comportamentos que você repete sem nem ter que pensar neles como: com que mão você escova os dentes, qual peça de roupa você veste primeiro pela manhã (blusa ou calça) ou quantas vezes você mastiga sua comida antes de engolir… Você parou pra tentar se lembrar, né? Pois é.

Esse comportamento é o que os pesquisadores chamam de o Ciclo de Hábito e ele fica gravado nos seus gânglios basais. O problema é que metade do nosso dia é passado no modo piloto automático e qualquer hábito que você repete sempre na sua toxina tem o poder de tomar conta de você! Adivinha quais são os hábitos mais comuns que sempre repetimos? Os padrões de pensamento: autossabotagem, preocupação, procrastinação, pensar demais, medo, entre outros. Tudo isso são padrões de pensamento, hábitos da nossa mente.

O que é preciso entender aqui é que você não é uma pessoa que vive preocupada ou com medo, você tem o hábito de se preocupar, o hábito de sentir medo. Você não é um procrastinador, você tem o hábito de procrastinar e assim por diante.  Entender isso fará uma enorme diferença na sua vida! Portanto, qualquer padrão de comportamento (comer demais, mandar demais nas pessoas no trabalho) ou de pensamento (medo, autossabotagem), pode ser interrompido e substituído.

– Direção:

É a parte mais nova do seu cérebro, a capa mais externa, chamada de Néocortex. Estar na direção é o modo onde você controla os seus pensamentos, onde você está completamente atento, presente e no controle dos seus pensamentos e ações.

Quando você está no modo direção, o seu córtex préfrontal está ativo. É essa parte que você usa para aprender novos comportamentos, fazer coisas difíceis e pensar estratégicamente. Um exemplo? Se você é destro e tentar escrever com a sua mão esquerda, você até poderia fazê-lo, mas há de concordar que ficaria uma escrita super estranha. Ao fazer isso o seu córtex préfrontal estaria completamente concentrado em enviar os sinais para a sua mão esquerda, para que ela aprenda um novo comportamento.

 

 

No momento que você se sentir hesitando em sair da sua zona de conforto, ir atrás das suas paixões, assumir riscos e agir apesar do medo, esse é o momento em que você acaba de acordar e, nesse momento, você tem uma decisão a tomar. A única questão é: Você vai cair no modo piloto automático, dos hábitos de pensamento e comportamento dos ganglios basais, ou você vai acordar o seu córtex préfrontal e seguir em frente, focado em fazer algo diferente?

Eu e seu cérebro sabemos que é  difícil mudar um comportamento, mas não é impossível.

Basicamente, a sua mente te engana e te prende num ciclo sem fim de pensamentos. No momento em que você é pego nesse falatório mental, você vira prisioneiro da sua mente, essa danada. Ela tem milhões de maneiras de fazer você desistir de agir. Agir significa, muitas vezes, fazer coisas que são incertas, assustadoras ou novas. Seu cérebro vai evitar ao máximo que você saia do piloto automático, lembra? É seu cérebro reptiliano, seus gânglios basais, te ‘protegendo’ das ameaças da vida. Só que você não mora numa savana africana ou no meio da floresta, né? O problema é que essa hesitação em agir acontece muito rápido, por isso você tem que se livrar dela agindo ainda mais rápido.

Como te mostrei aqui no começo do texto, você não consegue controlar como você se sente, a emoção que dispara o medo, a dúvida, a autossabotagem, a ansiedade, mas você sempre pode controlar o que você pensa e como você se comporta. Você pode quebrar o ciclo vicioso do medo e da hesitação.

A verdade é que nós gastamos muito tempo tentando manipular nossas emoções e pouco tempo praticando as habilidades para controlar nosso comportamento e pensamentos.

Muitos ficam esperando se sentir prontos, esperando se sentir corajosos, esperando sentir confiança, esperando pela hora certa e esses momentos nunca vão chegar! Nunca. Você não vai mudar a sua vida no nível da mente, você só conseguirá mudá-la através da ação.

A lição a aprender aqui é que você não pode controlar as coisas que acionam seus medos, dúvidas, mas você pode sim interromper essa emoção, assumir o controle e mudar os seus pensamentos e a maneira como você se comporta.

Quanto maior o seu sonho, mais medo você vai sentir. Para crescer e avançar na vida você terá que aceitar novos desafios. Vai sempre existir a incerteza, o stress, a preocupação, os egos à solta, as crises de identidade. Sempre vai existir esse medo nascendo. SEMPRE, a cada novo passo que você desejar tomar. Portanto, não é ele que você deve combater. O que você deve mudar é a maneira como você reage a ele com as suas ações.

“Ok, Bia, entendi. Mas como é que a gente vira essa chuvinha dentro da cabeça?”

A REGRA DOS 5 SEGUNDOS

mindset criativo

 

Dia desses me deparei com o livro ‘The 5 seconds rule” ou a “Regra dos 5 segundos”da coach e autora americana, Mel Robbins. Nesse livro ela explica um truque super fácil de colocar em prática, mas com um efeito poderosíssimo na hora de enfrentar a paralisação, a tal da Regra dos 5 segundos.

Basicamente, esse truque te ajuda a trocar, num instante, de um modo cerebral para outro. Você irá dos velhos hábitos (piloto automático) para um novo comportamento (modo direção), seja essa novo comportamento acordar na hora, trabalhar no seu negócio, ligar pras pessoas que você tem medo, parar de beber ou se alimentar melhor. Primeiro você vai usar esse truque para mudar o seu comportamento, depois você vai começar a usá-lo para mudar os seus padrões de… pensamento!

Ansiedade nada mais é do que o hábito de se preocupar saindo do controle e fazendo com que as sensações no seu corpo disparem essa preocupação excessiva que vai fazer com que você entre em pânico, certo?

O truque é interromper esses pensamentos toda vez que você sentir a preocupação dar as caras. Por conta do fato de que é seu córtex préfrontal que fica ativo nessa regra dos 5 segundos, é isso que vai permitir que a sua mente tome conta das suas emoções!

Você não toma decisões usando o seu córtex préfrontal, com lógica. Nós tomamos decisões com os nossos sentimentos. Os neurocientistas como o Dr. Damásio, já descobriram que 95% das nossas decisões são tomadas de acordo com a maneira como nos sentimos naquele momento. E esse é o problema, pois você precisa assumir o controle deste momento e não se deixar ser engolido pelas emoções.

A verdade é que se você se perguntar, “Eu me sinto confiante para seguir em frente com o meu negócio?, Me sinto confiante para responder aquele telefonema que tenho evitado?”, ou ainda, “Me sinto pronto para enfrentar aquela conversa difícil?”, a resposta será sempre não.

Nós tomamos decisões baseadas nos nossos sentimentos e isso rouba de você a alegria das novas oportunidades, pois te cega para o fato de que a maneira de você mudar a sua vida é com uma decisão, uma ação, um passo de cada vez. Se você aceitar o fato de que você nunca se sentirá pronto, motivado, confiante ou corajoso (e tudo bem com isso!) o suficiente, vai perceber que é a ação quem vai te tirar desse sequestro emocional e te colocar em movimento. Quando você faz isso, adivinha o que acontece? Você aprende a habilidade de agir com confiança e coragem diante do medo.

O que a Mel Robbins percebeu é que existe uma janela de 5 segundos, entre os ‘E se’ ou os ‘Acho que eu deveria’ e uma ação. Se você não tomar uma atitude nesses 5 segundos, o seu cérebro é desenhado para matá-la. Se você não aproveita essa oportunidade, o seu cérebro entra no modo piloto automático e você é imediatamente sequestrado por seus hábitos de pensamento, de autocrítica e de falta de confiança.

Portanto, no momento em que a oportunidade de agir aparecer na sua ‘janela’, por assim dizer, você deve contar de trás pra frente 5,4,3,2,1 e, se colocar em movimento (literalmente) ou o seu cérebro vai parar você. As suas emoções vão parar você. Seus pensamentos autossabotadores irão parar você.

 

MAS PORQUE ESSE REGRA DOS 5 SEGUNDOS FUNCIONA?

A hesitação é uma assassina de gênios criativos. Ela envia um sinal de stress para o seu cérebro, como uma bandeira vermelha que assinala que algo está errado, sabe? Quando seu cérebro recebe essa mensagem de stress ele entra no modo proteção. É dessa forma que estamos construídos para… desistir.

Só que existe uma outra forma de enxergar essa situação tão comum. O segundo que você sente a hesitação, pode ser um momento de grande poder! É nesse momento que você pode começar a se afastar de algo que você deveria enfrentar. Então, se você contar 5 segundos de trás pra frente (5,4,3,2,1) quando sentir essa hesitação, você desliga a chave dos seus glânglios basais e deixa seu cortex préfrontal assumir o controle, apesar do medo, da raiva, da desconfiança ou da falta de coragem.

Nesse momento você interrompe o seu modo padrão de pensamento e faz o que os psicólogos chamam de ‘controle assertivo’. Contar dessa forma te distrai das desculpas de sempre e foca a sua mente em seguir em frente, em uma nova direção.

Essa mudança interna acontece porque contar e se mover em seguida (seja levantando da cadeira, atendendo o telefone, respondendo um email, lendo um livro, falando com alguém ou qualquer outra ação relacionada ao momento em que a hesitação surge) são ações. Quando você ensina a si mesmo a tomar uma atitude, quando normalmente seria engolido pelos pensamentos, você cria uma mudança incrível no seu mode de responder ao medo, pois foca sua atenção no que precisa ser feito e interrompe o hábito de hesitar, pensar demais e desistir.

Essa pequena ação de contar ao contrário tem o poder de te trazer a calma para analisar a situação usando da razão e tornar o processo de mudança mais fácil, pois você faz seu cérebro funciona a seu favor, ao invés de contra.

Quando você aplica essa técnica todas as vezes que se sente hesitando na hora de tomar uma decisão, você substitui aquele pensamento obsessivo que diz que você não é capaz, que não vai dar certo, de que nada vai mudar, pela AÇÃO! Quando você vai isso você se torna mais presente e produtivo, você para de se autossabotar e começa a acreditar mais em você, nas suas ideias e habilidades.

Tomar decisões rápidas, sem pensar demais, tira você no círculo vicioso da dúvida eterna e te coloca em movimento.

Eu achei essa dica fantástica e quis vir aqui te propor o desafio de implantá-la na sua rotina! Você pode usar a Regra dos 5 segundos para:

  • Se manter na linha com seus objetivos, seja levantar cedo todas as manhãs e fazer escolhas mais saudáveis no seu dia a dia ou sentar e escrever as suas 1000 palavras diárias;
  • Levantar (literalmente) da cadeira e ir atrás do que tem que ser feito para seu projeto criativo ganhar vida, seja ligar para alguém que possa te ajudar, compartilhar uma ideia nova com um colega de trabalho ou se informar como funciona uma campanha de financiamento coletivo na prática;
  • Monitorar suas emoções e controlar a raiva, o medo e a ansiedade;
  • Honrar seus instintos tomando uma ação e não se deixando paralisar pelo medo;
  • Parar de pensar de você deve fazer aquele curso/a aula  OU ir àquele encontro ou reunião e simplesmente IR/FAZER;
  • Ou seja, finalmente, parar de procrastinar e tirar as ideias da cabeça!

A regra dos 5 segundos é perfeita pra você que precisa parar de pensar e começar a agir! Considere essa regra como os 5 segundos de coragem que você precisa para sair da sua zona de conforto e partir rumo ao seu gênio criativo, de braços abertos. Não se iluda, criatividade sem ação, não é criatividade, é apenas blábláblá mental 😉

Me conta aqui nos comentários o resultado dessa nova forma de abordar seus medos e ações? Vou adorar saber!

WOW WOW WOW! Para tudo!!!! Já são 36 alunos inscritos no Programa F.I.R.E. U.P. :O Trinta e seis pessoas que disseram SIM aos seus gênios criativos e resolveram ser os agentes de transformação das suas vidas!

Se você quiser se juntar a essa comunidade incrível de criativos, AGORA É A HORA: http://www.incendeieseugeniocriativo.com.br/fireup

Do outro lado do seu medo ou da sua dúvida está a vida criativa que você merece, já pensou nisso? Pode contar comigo pra te ajudar a chegar lá <3

ps: O preço do F.I.R.E. U.P. irá DOBRAR em abril. Se você sentir que esse é o seu chamado para uma vida mais criativa e autoral garanta HOJE a sua vaga com essas condições super especiais 😉

Você gostou desse texto? Então 'bora compartilhar criatividade com a galera!